Desfloras-me
desfloro-te
porque temos flores
um para o outro
o teu ritmo
em mim
sobre mim
tão novo
para mim
é muito antigo
é como o dos animais
ganho a minha virgindade
que te dou 
e que não perco
sou sempre virgem
a minha dor
o meu sangue
são a tua dor
o teu sangue


poema de Adília Lopes


a 28.8.13
Etiquetas: , , ,

 

0 comentários: