98.

Há pessoas muito novas sob a pele usada
chorando lágrimas escaldantes
talvez até escandalosas

São como dinheiro debaixo do colchão
e não se gastam mesmo se precisas
pois a vida não lhes faz ou fez sinal

Por vezes ouvimo-las gritar
durante a noite quando tudo grita
e ninguém tem força ou destreza

para abafar o silêncio



poema de Regina Guimarães em "A Mal Acabada"


a 11.6.14
Etiquetas: , , , ,

 

0 comentários: